Para cada pintura, um rolo certo

Para cada pintura, um rolo certo
maio 26 09:42 2011 Imprimir Este artigo

 

 

 

 

Engana-se quem pensa que para mudar ou criar cores em um ambiente basta ir lá e pintar, usando qualquer material. Tudo bem, da cor desejada irá ficar… Mas e o aspecto? Se não usados os rolos certos para cada tipo de pintura, o resultado pode ser desastroso. Portanto, confira algumas dicas para deixar suas paredes perfeitas e no tom desejado.

Segundo a Castor, empresa especializada no desenvolvimento e fabricação de ferramentas e acessórios para pinturas deve-se sempre considerar o tipo de tinta que será utilizada e que superfície será trabalhada – rugosa, áspera ou lisa. Quando se utiliza um rolo de lã, por exemplo, quanto mais rugosa a superfície, mais alto poderá ser o pelo da ferramenta. Já numa parede lisa, rolos com pelo alto oferecem ganhos de produtividade, enquanto que o uso de pelo baixo aumenta a qualidade de acabamento.

 

 

Rolo certo para cada aplicação

 

Os rolos de pintura de lã natural – fabricados com lã de carneiro – são recomendados para a aplicação de tintas à base de água (látex PVA e acrílicas), com opções para cobrir superfícies rugosas, semirrugosas e com texturas.

 

Nesse caso, o usuário deve observar que quanto mais rugas e saliências tiver a superfície, maior deve ser a altura do pelo do rolo de lã utilizado. Os pelos altos (acima de 16mm) permitem que o rolo retenha mais tinta e garantem maior rendimento no alastramento da mesma. Já os rolos com pelos abaixo desta medida são mais leves, versáteis e praticamente não respingam, garantindo excelente acabamento.

 

Os rolos de pintura de lã mista também são recomendados para a aplicação de tintas à base de água (látex PVA e acrílicas). Esta linha tem opções para cobrir superfícies rugosas, semirrugosas e com texturas suaves. São feitos de lã de carneiro (50%) e fibra de poliéster (50%), fixadas no tubo pelo processo de termofusão.

 

Os rolos de pintura de lã especial foram desenvolvidos para a aplicação de tintas à base de água (látex PVA e acrílicas), esmaltes sintéticos, óleos, vernizes e zarcão. Há opções para cobrir superfícies lisas, semirrugosas e com texturas e eles são fabricados com manta de lã de fibra de poliéster, que é fixada no tubo pelo processo de termofusão.

 

Os rolos de pintura de espuma poliéter e poliéster são recomendados para aplicação em superfícies lisas. A espuma poliéster tem densidade maior e estrutura celular mais fina. Ela retém mais tinta e proporciona melhor alastramento e acabamento com qualquer tipo de tinta acrílica ou sintética. Os rolos de espuma poliéter são macios e indicados somente para pinturas com tintas à base de água.

 

 

Dicas práticas

 

Rolo de lã – natural, sintética ou mista?

Todos os tipos de rolos têm qualidade garantida e proporcionam excelente acabamento quando usados adequadamente. A lã natural é mais elástica e tem microescamas que proporcionam maior retenção de tinta. Ao ser desenvolvida, a lã sintética pode ter a densidade, altura e largura das fibras rigorosamente controladas e atender, de forma mais econômica, todo tipo de pintura. A tecnologia na fabricação das fibras sintéticas é tão avançada que faz com que fiquem semelhantes às fibras naturais no que se refere à aparência, toque e aplicaçãoTodos os tipos de rolos têm qualidade garantida e proporcionam excelente acabamento quando usados adequadamente. A lã natural é mais elástica e tem microescamas que proporcionam maior retenção de tinta. Ao ser desenvolvida, a lã sintética pode ter a densidade, altura e largura das fibras rigorosamente controladas e atender, de forma mais econômica, todo tipo de pintura. A tecnologia na fabricação das fibras sintéticas é tão avançada que faz com que fiquem semelhantes às fibras naturais no que se refere à aparência, toque e aplicação.

 

Rolo com pelos altos ou baixos?

Os rolos com pelos mais altos: retém mais tinta; garantem maior rendimento do produto utilizado; proporcionam melhores resultados com tintas à base de água em superfícies ásperas, absorventes ou rugosas.

Os rolos com pelos mais baixos: mesmo carregados com tinta, são leves e versáteis na aplicação; garantem excelentes acabamentos; podem ser usados com ótimos resultados, em tintas à base de solventes e respigam menos.

 

Cuidados com a ferramenta

É recomendado lavar o rolo de lã antes de usá-lo pela primeira vez, para retirar eventuais fios que ficaram agregados em sua fabricação, eliminando a possibilidade deles se soltarem durante a aplicação da tinta.

Uma orientação importante é que se deve evitar o uso de thinner nos rolos de espuma, pois são produtos incompatíveis e em contato um com o outro podem reagir e causar deformação da espuma. Para aumentar a vida útil dos rolos, o ideal é usar solventes minerais no manuseio e limpeza das ferramentas usadas com tintas sintéticas.

 

 

 

veja mais artigos

Sobre o Autor

Redação Reforma Fácil
Redação Reforma Fácil

Apresentar tudo que possa facilitar a vida de quem vai reformar, construir ou decorar, ajudando a tornar a empreitada bem sucedida com um grande volume de informações de projetos, produtos, serviços e obras.

Ver Mais Artigos
  1. wesley
    agosto 01, 20:01 #1 wesley

    Qual seria o rolo ideal para a pintura no gesso .obrigado

    Responder este comentário

Adicionar um comentário

Seus dados estarão seguro! O seu endereço de email não será publicado. Outros dados também não serão compartilhados com terceiros.
Todos os campos são obrigatórios.