Por Que As Cores Exercem Tanta Influência?

Por Que As Cores Exercem Tanta Influência?
junho 18 20:20 2008 Imprimir Este artigo

coresSegundo os estudos de psicologia, a cor é uma realidade sensorial à qual não podemos fugir. Além de atuarem sobre a emotividade humana, as cores produzem uma sensação de movimento, uma dinâmica envolvente e compulsiva. 80% da informação visual está relacionada com as cores.

Algumas experiências psicológicas têm provado que há uma reação física do indivíduo diante da cor. A luz colorida intensifica a circulação sangüínea e age sobre a musculatura, no sentido de aumentar sua força, segundo uma seqüência que vai do azul, passando pelo verde, amarelo, laranja e vermelho.

coresO efeito produzido pela cor é tão direto e espontâneo que se torna difícil acreditar que ele conote apenas experiências passadas. Cientificamente, nada comprova a existência de um processo fisiológico que explique o porquê dessa reação física do homem à estimulação da cor. Entretanto, algumas pesquisas mostram reações diante da cor.

O psicólogo, psiquiatra e filósofo suíço Max Luscher realizou um teste interessante com as cores em 1949 e que foi rapidamente difundido nos anos 60 em toda a Europa e Estados Unidos. Ele descobriu que a preferência por uma cor está associada a um estado mental e de equilíbrio hormonal. Sua pesquisa foi baseada no processo de atração e repulsão.

Segundo este estudo, a visão das cores e das combinações cromáticas gera uma resposta de comportamento emocional e física de tal forma que a preferência ou repulsa por uma determinada cor pode revelar aspectos e tendências emotivas. Em resumo, as cores falam sobre nós, dando informações sobre nossas necessidades, desejos, medos. Basta saber decifrar a mensagem.

Trata-se de uma linguagem complexa, em parte influenciada pela nossa cultura, em outra pela condição da nossa individualidade psicológica, sempre revelador de um componente inconsciente e sugestivo da qual a cor representa a chave de acesso.

O teste de Luscher avalia oito cores, quatro básicas (vermelho, amarelo, verde e azul) e quatro auxiliares (violeta, marrom, cinza e preto), que revelam diversos sentimentos.

A percepção da Cor

Quando as pessoas são obrigadas a olhar por um determinado tempo para o vermelho, por exemplo, observa-se que há uma estimulação em todo sistema nervoso: há uma elevação da pressão arterial e nota-se que o ritmo cardíaco se altera. O vermelho puro atua diretamente sobre o ramo simpático do sistema neurovegetativo.

Observar o azul puro produz efeito exatamente contrário: o ritmo cardíaco e a respiração diminuem.

A preferência por determinados efeitos psicodinâmicos da cor pode servir de sintoma para revelar sua índole temperamental e mesmo o caráter que formou. Como as cores estimulam determinados comportamentos, o interesse por esta ou aquela cor e as circunstâncias em que isto acontece pode ser uma fonte de informações sobre a pessoa.

Mas isto não é uma regra. As circunstâncias podem interferir e determinar o apelo diferenciado às cores. A moda, por exemplo, determina preferências que podem não ser as da inclinação espontânea. As cores determinadas podem não definir com precisão o caráter e a índole da pessoa que a usa. Também por motivos funcionais, sobretudo terapêuticos, uma cor poderá ter sido eleita exatamente para reverter uma tendência.

A psicodinâmica das cores pode determinar comportamentos complexos. Por exemplo, se um homem subitamente se interessa por gravatas vermelhas, ou uma mulher passa a se vestir mais vezes de cor-de-rosa, algo inconsciente pode estar comandando este comportamento. Um homem poderá estar no empenho de conquista de uma parceira, ou a mulher na conquista de um parceiro. Portanto o súbito interesse pelo vermelho (a cor mais sexual e mais ativa) denotou a vitalidade sexual notória do homem ou da mulher que manifestaram o fenômeno.

A sensação da cor

Nos anos 50, designers de produto e anunciantes interessados em usar as cores para atrair dinheiro e aprimorá-las em seus produtos, financiaram estudos para pesquisadores interessados em desenvolver a teoria das cores. Até mesmo psicólogos desenvolveram trabalhos e a terapia das cores ganhou credenciais no mundo científico. A partir daí, a ciência continuou a progredir fornecendo novos meios para os artistas, e alguns dos coloristas que combinam o interesse pela tecnologia com uma preocupação da aplicação da cor.

A cor age sobre nossos sentimentos, sensibilidade e humor. Esse processo de filtragem é feito antes que qualquer coisa chegue ao consciente. A própria decisão é tomada fora da percepção consciente.

O fenômeno da percepção da cor é mais complexo que o da sensação. Além dos elementos físicos (luz) e fisiológicos (olho), é influenciada pelos psicológicos que alteram substancialmente a qualidade do que se vê.

Na percepção distinguem-se três características principais que correspondem aos parâmetros básicos da cor: matiz (comprimento de onda), valor (luminosidade ou brilho) e croma (saturação ou pureza da cor). A percepção da cor é a mesma para pessoas de diferentes idades, formações ou culturas.

O aspecto sensorial da cor é visual e abrange a psicologia e a filosofia. A associação das cores com o significado psicológico se classifica em:

* Sensações Acromáticas: Branco, Preto e Cinza – têm apenas a dimensão da luminosidade.

* Sensações Cromáticas: compreendem todas as cores do espectro solar, resultantes da refração da luz – Violeta, Índigo, Azul, Verde, Amarelo, Laranja e Vermelho.

Geralmente, são utilizados três atributos para a qualificação: cor, luminosidade ou brilho e saturação (quantidade de cor em uma tinta).

Algumas considerações devem ser respeitadas na aplicação das cores em ambientes de trabalho: o planejamento do uso de cores deve ser elaborado cuidadosamente com a arquitetura e iluminação, de modo que: utensílios e ferramentas individuais, paredes, máquinas, ou equipamentos de transporte sigam as cores planejadas para criar o conjunto harmônico.

É preciso definir a função da sala de trabalho e analisar cuidadosamente seu ocupante. É importante considerar se o trabalho é monótono ou se tem grandes exigências à concentração. Em trabalhos monótonos, é recomendado o uso de alguns elementos colorísticos. Em ambientes de grande dimensão, pode ser subdividido através de elementos de cores especiais; desta forma, evita-se o anonimato das salas de fábricas.

Se o trabalho exigir grande concentração, deve-se fazer a coloração da sala mais discreta, para evitar distrações e cores que não tragam tranqüilidade.

É evidente a influência da cor pelo clima, para regiões de clima quente, o planejamento cromático dos locais de trabalho pode ser elaborado com tons de verde-claros ou azuis. Estes tons proporcionam uma sensação de frescor. Em regiões frias, ou até mesmo em lavabos e vestiários, o uso de cores quentes como o amarelo, laranja e o vermelho pode contribuir e minimizar a sensação de frio. Em condições médias, cores quentes e frias podem ser usadas e combinadas com resultados satisfatórios.

Cada ambiente deve ser projetado em função de seu sistema de serviço. Para restaurantes, bares e lanchonetes podem-se usar cores suaves e quentes.

Em hotéis, as tonalidades verdes e azuis são indicadas para peças quentes e iluminadas, ou seja, voltadas para o sol. Os tons de rosa, bege e laranja devem ser utilizados para ambientes frios, ou seja, ambientes que não recebam sol, as quais deverão ser usadas tonalidades claras e, se possível, acinzentadas.

Nos estabelecimentos comercias, a boa iluminação tanto natural como artificial, constitui fator de primeira grandeza nos resultados dos esquemas cromáticos, promovendo, portanto, as vendas. O comerciante pode vir a ter mais lucros quando as cores conseguem fixar o freguês no estabelecimento, por isso, precisam ser cuidadosamente selecionadas. Se houver necessidade de adaptar cores conforme as estações do ano, podem-se utilizar cores quentes no inverno e as frias no verão.

Em hospitais e clínicas a cautela na escolha das cores deve ser ainda maior. Quando se planejam esquemas de cores, os estudos devem ser elaborados com cuidado, pois deve ser planejado em função das características psicológicas de cada ambiente. De qualquer forma, as cores em hospitais e clinicas, estarão sempre relacionadas com propriedades terapêuticas.

Nas Universidades e Escolas, as cores contribuem para criar um clima satisfatório aos estudos, além de proporcionar uma boa visibilidade.

nucleo

Fonte : Núcleo de Decoração
  Tags desta publicação:
  Categorias:
veja mais artigos

Sobre o Autor

Redação Reforma Fácil
Redação Reforma Fácil

Apresentar tudo que possa facilitar a vida de quem vai reformar, construir ou decorar, ajudando a tornar a empreitada bem sucedida com um grande volume de informações de projetos, produtos, serviços e obras.

Ver Mais Artigos
  1. Bárbara Marques da Silva
    outubro 08, 23:45 #1 Bárbara Marques da Silva

    Gostaria de saber a melhor cor para meio de transporte para evitar acidentes, impaciencia e ter bons lugros

    Responder este comentário

Adicionar um comentário

Seus dados estarão seguro! O seu endereço de email não será publicado. Outros dados também não serão compartilhados com terceiros.
Todos os campos são obrigatórios.